ESSA MÃE TEVE SEU BEBÊ EMPURRADO PARA DENTRO DURANTE O PARTO E TEVE SEQUELAS ASSUSTADORAS










Na hora do parto a mulher fica extretamente vulnerável, já que, em dor intensa, só se pensa em colocar a criança para fora o mais rápido possível. Por isso é tão importante a escolha de uma clínica que deixe a mãe à vontade e tenha todos os cuidados necessários. Mas casos de violência são cada vez mais comuns.

Caroline Malatesta já teve 3 filhos, e escolheu uma nova clínica para dar à luz ao seu quarto filho, aos 32 anos


Ela escolheu a clínica Brookwood Women's Center, que se dizia especializada em parto natural


Só que a experiência de Caroline foi desastrosa e mudaria a vida de sua família para sempre


Houveram complicações no parto e o médico não estava presente

O enfermeiro tem um papel muito importante durante o parto, pois dão todo o suporte à mãe e ao médico, fazendo com que o momento passe da forma mais tranquila, mas a enfermeira de Caroline não tinha muita noção de como as coisas funcionam.

Quando entrou na sala de parto, a enfermeira disse para ela que usasse logo o banheiro, pois não poderia usar depois. Só que o médico tinha dito à Caroline que o monitoramento sem fio a permitiria ficar livre. Para seu desespero, o médico não estava presente e nem atendia as ligações.


Caroline foi muito obediente, e seguiu o que os enfermeiros mandavam, mesmo que não recebesse qualquer explicação sobre os procedimentos. E essa foi a pior parte 

Pediram para que ela deitasse de costas sobre a cama, mas ela preferiu ficar sobre os joelhos e as mãos, pois assim ela se sentia mais à vontade. A enfermeira a empurrou e a colocou deitada à força, enquanto isso, outra enfermeira segurou a cabeça do bebê, que já estava saindo, e empurrou de volta para dentro da vagina de Caroline, impedindo que o parto acontecesse

“As enfermeiras estavam segurando, e eu estava fazendo muita, muita força”, contou a mãe

O marido dela viu a cena, mas pensou que algo sério estava acontecendo para que a equipe fosse tão agressiva

Após a chegada do médico, o parto aconteceu em menos de 1 minuto


A experiência foi tão traumática que deixou sérias sequelas. Ela passou a sentir forte dores no abdômen, a impedindo até de ter relações com seu marido 


Seu novo médico disse que isso é fruto de uma lesão num nervo, decorrente do parto violento


Desde então, ela começou uma briga judicial para que essa negligência não passasse em branco


Felizmente, em agosto de 2016, ela conseguiu US$ 16 milhões como indenização, mas os traumas e os danos físicos são todos permanentes.


Fonte: www.tudointeressante.com.br