Globo "corta as asas" de Galvão Bueno, reduz regalias e seu salário acaba sendo revelado



Um dos maiores salários da TV Brasileira, cerca de R$ 5 milhões mensais, Galvão Bueno perde regalias na Globo.

Publicidade





Para diminuir custos, o principal narrador da emissora, acostumado a rodar o mundo cobrindo F1 e futebol, tem transmitido quase todo evento internacional do Brasil mesmo, via estúdio, como informa a jornalista Keila Jimenez.

Essa redução nas viagens começou em 2016. Em relação ao F1, a modalidade não rende mais tanta audiência e o custo de enviar equipe grande e montar estúdio pelo mundo começou a incomodar.

Ao invés de mandar o narrador e sua equipe, a emissora resolveu fazer tudo nos estúdios do nosso país, com uma “narração off tube”. A emissora declara que somente os repórteres agora viajam para cobrir os grandes prêmios de F1 pelo mundo.



Segundo a publicação, as viagens à trabalho eram sempre regadas depois do expediente a bons vinhos e jantares caros pagos por ele.

O futebol não ficou de fora, e a final da Champions League teve Galvão, mas bem longe do Millennium Stadium, em Cardiff, País de Gales. Diferente de 2015, quando Galvão Bueno viajou para Berlim, na Alemanha, para a narração de Barcelona x Juventus, pela final da Liga dos Campeões da Europa.


Nesse contexto, espera-se que até as viagens de Galvão para acompanhar a Seleção podem diminuir.

Assista ao vídeo e entenda porque a Globo tomou esta atitude 



Fonte: Blasting News, TV Foco 


Publicidade